Você já se sentiu desanimado, sem vontade, abatido, com uma tristeza profunda?

Se você respondeu sim à pergunta anterior leia o texto a seguir e saiba mais sobre a depressão na visão da Medicina Chinesa.

Aproveite esse momento de estudo e assista também ao vídeo sobre depressão da Monja Coen.

Depressão na visão da Medicina Tradicional Chinesa.

A depressão já é considerada o mal do século, alterações de humor, irritação, ansiedade, agitação, medo, insônia, dificuldade para dormir e desinteresse pelas atividades são um alerta vermelho, sendo indicativos de que precisamos da ajuda de um profissional.

Filosoficamente a Medicina Tradicional Chinesa tem o objetivo preventivo, visa manter a saúde do indivíduo como um todo, corpo e espírito integrados, ou seja, seu objetivo é preservar o equilíbrio energético do corpo evitando que ele adoeça.

Por que filosoficamente? Porque no mundo pós-moderno em que vivemos, onde não temos tempo para nada, pois estamos sempre “pré-ocupados” demais em ganhar dinheiro para aquisição de bens, os seres humanos acabam se “coisificando”, ou seja, o “TER” tem muito mais valor que o “SER”. Está situação gerou uma grande inversão de valores e não nos lembramos de cuidar da nossa saúde, a não ser que o nosso corpo esteja “gritando”, pedindo socorro, então resolvemos procurar ajuda, mas sempre a fim de tratar um problema que já existe e nunca de modo preventivo.

Sabemos que antes do nosso corpo físico adoecer, adoecemos energeticamente, nossa “alma” adoece . Para MTC, os desequilíbrios, os excessos e insuficiências, desregulam as energias do nosso corpo, levando a doenças como depressão, ansiedade, insônia, obesidade, problemas de coluna, diabetes, hipertensão entre muitas outras que poderíamos citar.

Comer em excesso, fazer uso indiscriminado de bebidas alcoólicas e medicamentos, preocupar-se em demasia, dormir menos do que o necessário, não ter uma dieta equilibrada, ingerir pouca água e sedentarismo, são alguns hábitos que desarmonizam a energia do nosso corpo físico levando as patologias.

Possuímos em nosso corpo doze canais de energia, chamados de meridianos, cada canal é vinculado a um órgão ou uma víscera. As doenças ocorrem quando existe algum desequilíbrio energético em um desses canais. No caso da depressão os meridianos que possivelmente estarão em desarmonia são: O meridiano do Coração, meridiano do Pulmão, meridiano do Baço e o meridiano do Fígado.

Um sinal de deficiência energética no meridiano do coração é o choro espontâneo;

Uma redução energética no meridiano do Pulmão é sinônimo de tristeza e angústia;

O meridiano do Fígado em desequilíbrio pode se manifestar por estados irritadiços ou por estados melancólicos e depressivos.

Quando pensamos demais no futuro, nos preocupamos, estamos lesionando a energia do meridiano do Baço, um Baço com deficiência energética se manifesta com sintomas como tristeza, falta de memória.

Agora que você sabe um pouco mais sobre o assunto, que tal tirar um tempinho para ler um bom livro, relaxar, meditar e cuidar um pouquinho mais de você.

Também não esqueça de fazer uma visita ao seu acupunturista para fazer o reequilibrio das suas energias.


Você sente medo do futuro?

Se sente inseguro?

As pessoas lhe dizem que você fala gemendo?

Se você se identificou com essas perguntas leia o texto abaixo e descubra outras características desse elemento.

O medo exagerado é um sentimento que vem da insuficiência do elemento água. Mas nem sempre o medo é considerado um sentimento negativo, na medida certa ele é necessário para mantermos nosso instinto de sobrevivência.

O excesso neste elemento irá se exteriorizar nas pessoas que possuem um comportamento intrépido, que não medem as consequências para alcançar seus objetivos. Lembram do ditado: “Água mole em pedra dura, tanto bate até que fura”, pois assim são as pessoas pertencentes ao fator constitucional água, obstinadas por seus objetivos.

O clima relacionado a este elemento é o frio, logo sua estação é o inverno. O desejo ou aversão pelo sabor salgado indicam um possível problema nesse elemento.

Se você sofre com problemas auditivos, zumbidos, disfunções ósseas, patologias na coluna (dores, hérnias, desvios), doenças autoimune, pedras nos rins, moléstias dentárias, estes são sinais que você possui um desequilíbrio energético no elemento água.

Para preservar a saúde deste elemento é importante a ingestão de pelo menos 2 litros de água por dia, evitar os excessos de sal, queijos e alimentos industrializados.

A acupuntura é usada tanto da prevenção destes desequilíbrios, assim como é utilizada para recuperar a saúde e o equilíbrio energético do corpo.

Os meridianos que compõem o elemento água são os meridianos do Rim e da Bexiga.

O meridiano dos Rins é responsável pela força criativa é nele que se armazena a nossa energia ancestral.

Recebemos a energia ancestral ao nascer e não temos como repô-la ao longo da vida, para entender melhor vamos fazer uma analogia: supondo que você ao nascer recebeu uma conta corrente com um montante “x” de dinheiro para usar durante a sua vida e você só pode retirar dinheiro dessa conta, você não pode fazer depósitos, esse dinheiro é sua única fonte de renda. Você irá economizar para ter seu dinheiro por muito tempo.Certo?

Assim é a energia ancestral, recebemos o suficiente para toda vida, se não cuidarmos bem dela estaremos reduzindo nosso tempo de permanência na terra, devemos ter uma vida equilibrada, sem exageros. O uso de álcool, drogas, falta de descanso, excesso de comida, excesso de sexo gastam nossa energia ancestral. Então agora que você sabe um pouco mais sobre como preservar sua Energia Vital, que tal você começar a cuidar da saúde dos Rins e ter uma longa vida.

Agende sua sessão de acupuntura e venha fazer seu equilíbrio energético.

Referências Bibiograficas: HICKS, Angela; HICKS, John; MOLE, Peter. Acupuntura Constitucional dos Cinco Elementos. São Paulo: Roca, 2007.

Você já se perguntou:

  1. Qual é o significado da vida?

  2. Onde encontro inspiração para meus projetos?

Se sim, provavelmente você é uma pessoa que pertence ao elemento Metal. Leia o texto abaixo e descubra outras características desse Elemento.

Os canais de energia que formam o elemento Metal são os meridianos do Pulmão e do Intestino Grosso. O Espírito ligado a ele é o Po, lembrando sempre que os espíritos estão vinculados ao meridiano Yin do elemento, e neste caso, ao Meridiano do Pulmão. O Po é conhecido também como alma corpórea, a alma que anima nosso corpo.

Quando inspiramos absorvemos a energia celeste (Yang Qi), através do ar. A energia Yang está vinculada diretamente a criação, então ao inspiramos também estamos inspirando energia criativa. Quanto mais saudável for a energia do Pulmão, mais inspiração teremos. A energia elaborada pelo meridiano do Pulmão em conjunto com outros meridianos produz a Energia Defensiva (Wei Qi).

Uma respiração profunda, natural e sem esforço é um indicador que a energia defensiva está em boas condições para lutar contra as energias nocivas ao nosso organismo.

Quando a homeostase do pulmão está abalada, as pessoas tendem a ficar deprimidas e tristes.

A tristeza além de afetar diretamente o elemento Metal afeta também o elemento Fogo, como já mencionado anteriormente no nosso Blog.

Pessoas que apresentam uma insuficiência no meridiano do Pulmão podem apresentar um quadro de choro fácil, mágoa, lamentos, e estão extremamente fragilizadas e sensíveis, geralmente preferem o isolamento. Elas precisam de aprovação de seus atos e atitudes para se sentirem pertencentes ao mundo. Em geral são pessoas mais sensíveis às críticas e a agressão dos sentimentos.

Às vezes você acha que não está conectado a este mundo, não entende qual é o seu objetivo na vida, neste caso, possivelmente está com um desequilíbrio energético no meridiano do Pulmão. A acupuntura pode ajudar você a restabelecer a ordem natural das energias no seu corpo. Quando o elemento Metal está equilibrado, encontramos o sentido mais elevado da vida.

Se a energia do Pulmão estiver saudável, provavelmente teremos uma pele bonita e viçosa. No entanto se apresentamos, um quadro de alergias respiratórias, alergias cutâneas, acne, pele oleosa, poros dilatados, provavelmente há um desequilíbrio energético no elemento Metal e este desequilíbrio precisa ser tratado.

Quer saber mais, acompanhe nosso Blog...

Abraços até a próxima.

Referências Bibiograficas: HICKS, Angela; HICKS, John; MOLE, Peter. Acupuntura Constitucional dos Cinco Elementos. São Paulo: Roca, 2007.

Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags